Desde o dia 10 de maio, indígenas Yanomami, de Roraima, convivem com o medo. Garimpeiros ilegais, armados, têm feito investidas contra a comunidade do Palimiú, na divisa com o estado do Amazonas. Duas crianças morreram afogadas ao tentar se esconder dos tiros efetuados na aldeia.

No último dia 5 de junho, o Palimiú voltou a ser atacado. Garimpeiros desembarcaram, em quatro barcos, e atacaram os indígenas com bombas de gás lacrimogêneo.

O ataque foi uma resposta dos garimpeiros ilegais a uma operação do Exército Brasileiro e da Polícia Federal, para desativar sete garimpos na região.

Mesmo após as operações das forças de segurança, lideranças indígenas revelam a ausência de respostas mais concretas e efetivas contra os ataques dos garimpeiros.